LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

sexta-feira, 17 de junho de 2011

UM ANO SEM SARAMAGO


JOSÉ SARAMAGO - imagem Google

Neste 18 de junho completa-se um ano do falecimento do monumental JOSÉ SARAMAGO, escritor português e Prêmio Nobel de Literatura - 1988.

De origem humilde e filho de agricultores, chegou a trabalhar como operário, mas com um intenso amor pelos livros. Nessa condição freuqentava assiduamente as bibliotecas.
Para animar nossos amigos poetas e escritores, ele também experimentou a rejeição dos editores e teve também seus infortùnios de não conseguir publicar algumas de suas obras, antes de ganhar renome no mundo editorial.

Em literatura, frequentou praticamente todos os gêneros, desde o jornalismo, a crônica, a poesia, o teatro, o conto e até o conto infantil, mas foi o gênero Romance,  que realmente o consagrou.
Saramago era ateu confesso, socialista e membro do Partido Comunista em Portugal.
Foi um crítico severo contra a Igreja Católica. Embora não comungando com a linha filosófica de seu pensamento, não podemos negar-lhe a genialidade e o mérito de projetar definitivamente a literetura lusitana.
Entre suas inumeráveis obras, listamos algumas das mais importantes:

O EVANGELHO SEGUNDO JESUS CRISTO
A JANGADA DE PEDRA
ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA
A CAVERNA
AS INTERMITÊNCIAS DA MORTE.
 "Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais." - José Saramago

postagem e texto Márcio José Rodrigues