LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

PROJETO INFELIZ PREJUDICA LAGUNA

Imagem Jornal de Laguna

Foto mjr
Com argumentações nada convincentes, ocorreu a 11 de agosto do corrente ano a "ASSINATURA DE ORDEM DE SERVIÇO PARA CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE DO 3ª COMPANHIA DE POLÍCIA AMBIENTAL DE LAGUNA, com projeto de 612,86 m ² e dois pavimentos no valor de R$ 708.000,00.


Acontece, que este projeto rouba um dos últimos espaços de visão da Lagoa de Santo Antônio dos Anjos , principal cartão postal e atração para qualquer tentativa futura para o turismo.


Laguna com sua Prefeitura Municipal e a Secretaria de  Estado Regional de Laguna, principalmente na área de turismo, marcham na direção inversa do desenvolvimento sustentado e racional e, segundo informação colhida no "Jornal de Laguna", com aprovação do próprio IPHAN, sim, este mesmo que  tolheu a construção da imagem de Santo Antônio, por projetar sombra no centro histórico.

A Polícia Ambiental tinha outras saídas inteligentes para o projeto, inclusive no HORTO FLORESTAL,  revitalizando-o como Passeio Público, com lago, animais, ciclovias, um simpático parque temático de lazer e educação ambiental.


Laguna é a única cidade que esconde o mar da visão das pessoas, num processo incabível que não harmoniza com a inteligência de gente com mais visão de preservação do meio ambiente.

Vejamos:
O projeto se interpõe entre as pessoas e a visão do mar;
Não tem necessidade se ser executado ali naquele local;
Amedronta quanto á deposição de dejetos na lagoa;
Rouba o por do sol;
Coloca na paisagem uma construção comum e sem grande valor  arquitetônico, em comparação com a beleza da Lagoa;.
Atrapalha e/ou invalida qualquer ambição futura de uma beira-mar panorâmica como a da capital do estado ou como se está realizando no bairro do Mar Grosso.
O local não se coaduna com a hospedagem e tratamento de animais apreendidos.
Invade a lagoa com um trapiche de atracação que interfere no fluxo das águas e colabora com o assoreamento. 
Suas lanchas estariam bem mais protegidas no interior das docas junto ao mercado público.

MELHOR SERIA REVITALIZAR A ÁREA, TOMBÁ-LA E A EXEMPLO DO MAR GROSSO, PAVIMENTÁ-LA E DECORÁ-LA COM PALMEIRAS E ILUMINAÇÃO ADEQUADA. 
E DEPOIS, O MESMO COM AS CONSTRUÇÕES ABANDONADAS, TRANSFORMANDO TUDO NUM LARGO ESPAÇO DE ENCONTROS E LAZER.
"AINDA ESTÁ EM TEMPO IRMÃOS"


Texto e postagem Márcio José Rodrigues