LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

quinta-feira, 16 de junho de 2011

ARCHIMEDES DE CASTRO FARIA

um poeta denuncia a indiferença do poder

"Ai dos que vivem despreocupadamente em Sião, os que se sentem seguros nas alturas de Samaria! Os que dormem em camas de marfim, deitam-se em almofadas, comendo cordeiros do rebanho e novilhos de seu gado; os que cantam ao som das harpas ou, como Davi, dedilham instrumentos musicais; os que bebem vinho em taças e se perfumam com os mais finos unguentos e não se preocupam com a ruína de José."
Profeta Amós.


:
Foto - Cirilo de Castro Faria
Veja nos versos abaixo como a denúncia de Amós,  transmuda-se , na linguagem de um mestre da poesia e ganha força, graça, impacto e atualidade.



"A cada instante, pois, em todo mundo
Há alegres e tristes criaturas,
Que de tristes e alegres ocorrências
Vive o mundo em suas estruturas.

Os tipos de poder mais absurdos,
Honrarias e luxos requintados
-Eis um lado da vida, enquanto outro
Abriga milhões de desgraçados"



Da obra póstuma de Archimedes de Castro Faria, " NA TERRA DOS HOMENS", Design Editora, 2010.

O poeta Nasceu em Campos, RJ em 1910. Viveu em Laguna, meio século, de 1947 até 1997, ano de sua morte.
Autoditada, com apenas o curso primário, dominava a língua portuguesa e a gramática como um mestre, além de um vasto conhecimento sopbre poesia. Não conseguia esconder uma predileção entusiasmada pelo "Poeta dos Escravos" Antônio de Castro Alves.

 postagem e notas Márcio José Rodrigues.