LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

terça-feira, 22 de maio de 2012

DILMA ROUSSEF CONFIRMA PONTE ANITA GARIBALDI

Presidente do Brasil Dilma Roussef 
foto Maria de Fátima Barreto Michels
A data de hoje celebra em Laguna, SC, Brasil, uma conquista gigantesca não só para a cidade, mas para o Brasil e todos os países do Mercosul.
A rodovia BR 101 ganha uma das obras de arte mais expressivas da América Latina no campo da moderna  engenharia rodoviária.
Contando com a presença da Presidente da República Dilma Roussef, em ato solene realizado nas dependências do porto Pesqueiro, foi assinada pelo General Jorge Fraxe, do Denit,  a “Ordem de Serviço” para o início da construção desse gigantesco monumento.

A PONTE ANITA GARIBALDI atravessará o Canal das Laranjeiras sobre a Lagoa Imaruí, numa extensão de 2.800 m num custo aproximado a R$ 600.000.000,00 e sua estrutura não comprometerá o sistema ecológico lacustre da região.

Dilma Roussef tem uma presença pessoal marcante, impõem-se de imediato pela postura correta para uma autoridade de seu porte, sem contudo perder a empatia com as milhares de pessoas que compareceram ao local.

Mesmo sem pertencer aos quadros do PT, mas na condição de simples cidadão, eu gostaria que nossa presidente, soubesse aproveitar a oportunidade ímpar que o universo lhe oferece e se projetasse como a figura de uma grande estadista brasileira para a história do mundo.
Que rompesse com todas as barreiras e paradigmas para ganhar a estampa da grande figura entre os governantes das nações.

Desejo-lhe, pois, muita saúde e coragem, além de todo o sucesso em seu governo.
Afinal, se ela se sair bem, todos nós nos sairemos também.

 
Posted by Picasa

domingo, 13 de maio de 2012

13 DE MAIO, DIA DA LEI ÁUREA


Condor - ave símbolo da Escola Candoreira, à qual pertencia Castro Alves
                                                                   texto e postagem márcio José rodrigues 

A cruz da estrada
                Antônio de Castro Alves

Caminheiro que passas pela estrada,
Seguindo pelo rumo do sertão,
Quando vires a cruz abandonada,
Deixa-a em paz dormir na solidão.

Que vale o ramo do alecrim cheiroso
Que lhe atiras nos braços ao passar?
Vais espantar o bando buliçoso
Das borboletas, que lá vão pousar.

É de um escravo humilde sepultura,
Foi-lhe a vida o velar de insônia atroz.
Deixa-o dormir no leito de verdura,
Que o Senhor dentre as selvas lhe compôs.

Não precisa de ti. O gaturamo
Geme, por ele, à tarde, no sertão.
E a juriti, do taquaral no ramo,
Povoa, soluçando, a solidão.

Dentre os braços da cruz, a parasita,
Num abraço de flores, se prendeu.
Chora orvalhos a grama, que palpita;
Lhe acende o vaga-lume o facho seu.

Quando, à noite, o silêncio habita as matas,
A sepultura fala a sós com Deus.
Prende-se a voz na boca das cascatas,
E as asas de ouro aos astros lá nos céus.

Caminheiro! do escravo desgraçado
O sono agora mesmo começou!
Não lhe toques no leito de noivado,
Há pouco a liberdade o desposou.


Jamais entendi a escravidão.
Desde criança tornei-me famélico leitor do "Poeta dos Escravos", cuja eloquência muito contribuiu para a abolição da escravatura no Brasil e ainda repercute nos dias atuais, quando se fala em liberdade. 
Hoje é o dia da LEI ÁUREA, aquela que dispensou os escravos negros das fazendas, sem contudo se preocupar com sua condição humana, jogando-os simplesmente na rua da amargura, para viverem um falsa liberdade com direito apenas à miséria, à fome. ao analfabetismo e à discriminação racial.
Esta lei que deveria ter entrado em vigor desde 124 anos atrás, ainda não o conseguiu plenamente. 

O preço da liberdade é a eterna vigilância.
Liberdade é um processo em construção, que passa pela educação e pelo repúdio a qualquer tentativa de cerceamento contra a expressão do livre do pensar.

ATENÇÃO ÀS MANOBRAS DE CONTROLE DA IMPRENSA!



sexta-feira, 11 de maio de 2012

A MÃE DOS GRACOS

Minhas filhas Ana Clãudia e Ana Christina com os filhos Maria Antônia. Pedro e Fernando. - foto mjr
Texto e postagem: Márcio José Rodrigues


Na escola de primeiro grau de algumas décadas atrás, matérias como história, geografia, matemática, português e latim, faziam estudantes queimarem neurônios, porque além de os professores pegarem pesado, reprovavam mesmo e faziam repetir o ano.

Inesquecível uma história narrada no livro de latim “LUDUS’, de Milton Valente, sobre Cornélia, uma senhora romana, filha do herói Cipião Africano, aquele que pôs fim às  Guerras Púnicas entre Roma e Cartago, quando derrotou Aníbal na Batalha de Zama.
Cornélia viveu no séc. II a.C.
Era uma mulher de família importante e rica, porém, sensata e virtuosa.
Dois de seus filhos, Tibério e Caio, os “Irmãos Graco”, receberam dela uma educação esmerada e foram influentes tribunos em Roma. Revolucionaram o sistema de relações sociais, ao proporem maior distribuição de terras aos camponeses e a limitação dos latifúndios, ideias avançadas que os levaram à morte.

Uma vez, ainda garotos, estavam na companhia da mãe, quando uma matrona romana, ostentando joias riquíssimas presenteadas pelo marido, menosprezava a simplicidade de Cornélia.
Esta, então, apresentou-lhe os dois preciosos filhos e proferiu a sentença que sobrevive há mais de dois mil anos:
Haec ornamenta mea!” (Eis as minhas joias!).

Acho que as verdadeiras mães, não são aquelas que apenas parem, mas aquelas que se sublimam pelo amor e dedicação sem medidas.
São assim, Cornélias que colocam os filhos acima de todas as coisas, de todos os obstáculos, desafios e propostas da vida.

A elas rendo minhas homenagens e lhes desejo para todos os dias de sua existência:

FELIZ DIA DAS MÃES.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

LAGUNA RENASCE NA FESTA DE SANTO ANTÔNIO

Cartaz oficial da festa de 2012. Fotografia da imagem em madeira "encarnada", em tamanho um pouco maior que o natural, representando Santo Antônio com o Menino de pé sobre o livro das Sagradas Escrituras 
texto e postagem márcio josé rodrigues
A Festa de Santo Antônio dos Anjos da Laguna é uma das mais tradicionais manifestações religiosas do Brasil.
Seu cunho de origem portuguesa, fruto de uma colonização que remonta há mais de trezentos anos, traz ainda nos dias de hoje, a manutenção fiel de modelo barroco das cerimônias celebradas em latim e musicadas por coro, orquestra e acompanhamento popular.
Durante os treze dias de festejos a multidão que que comparece tem motivos de sobra para momentos de emoção e fé, com as cerimônias e procissões, celebradas sempre com a maior pompa e tradição.
Espetáculo à parte é a transladação da imagem do santo, desde uma das igrejas dos bairros Magalhães ou Roseta, alternadamente a cada ano. O cortejo é acompanhado pelo clero, a Irmandade de Santo Antônio (*259 anos), os casais de "Festeiros", autoridades governamentais, as Bandas Musicais União dos Aristas(*) e Carlos Gomes(*), ambas seculares e a primeira, a mais antiga do Brasil em seu gênero (152 anos) , além de milhares de fiéis devotos.
Durante todo o trajeto a imagem é saudada por uma profusão assustadora de fogos de artifício que partem de empresas, residências dos festeiros e de devotos, agremiações. 
A chegada dessa procissão à Igreja Matriz é inenarrável, momento apoteótico, com um espetáculo pirotécnico para gravar na memória.
13 de junho é o dia oficial, dia da morte de Santo Antônio, quando se celebra missa festiva pela manhã e procissão à tarde.
Em toda a duração da festa, o público diverte-se com as quermesses, stands de gastronomia, churrasco, tendas de guloseimas na praça, shows musicais, teatros, apresentações culturais, artesanato, folclore, bailes, exposições.


É um assunto tão sério, A TREZENA,  que precisa ser urgentemente tombada como PATRIMÔNIO IMATERIAL DO BRASIL.
Com a responsabilidade, o IPHAN.


(*) as entidades marcadas, funcionam ininterruptamente durante todos os seus anos de existência.



sábado, 5 de maio de 2012