LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

quarta-feira, 8 de junho de 2011

TINA SABE, TINA PULA!

 

Princesinha , com seus olhos grandes e escuros, cílios longos e encurvados, cresceu.
Comemora mais um aniversário ( pra mais de trinta) neste 9 de junho, data  que,  quando pequena, saia anunciando pela cidade e arrebanhando convidados de surpresa. 
Como dona Graça a vestia sempre com muito esmero, ela conservou até hoje este apuro pelo bem vestir, terror dos guarda roupas atulhados.
Gostava de fugir para as vizinhanças.
Um dia, uma cigana a viu no portão da casa, e fez uma proposta de comprá-la.
Não levamos a sério.
Tina despareceu!
 Foi um Deus nos acuda.
Delegado Péricles Faria, com muita prudência,  colocou a polícia de prontidão. A suspeita caia sobre as cabeças dos pobres ciganos, mas eles nem foram molestados. 
Ela havia simplesmente se infiltrado na casa da vizinha Dona Laura, se escondido atrás de um sofá, onde dormiu uma sesta despreocupada.

Sempre teve uma alegria muito grande em aprender algo novo.
Tinha uns três anos e havia finalmente aprendido a pular numa perna só. Escutei uns "tum-tum" no assoalho de madeira da sala. Ela era pulando como um saci, e dizendo para si mesma, super convencida:
- Tina Sabe! Tina Pula!
Isto não era coisa simples, como parece. Ela havia treinado muito até chegar ali.
Esta vontade de  aprender e conseguir lutando, sempre a impulsionou mais longe, para as metas que deseja, mas sem deixar o  romantismo que a caracteriza.
Desenvolveu um alto senso de questionamento social, uma sede de conhecer a verdade das coisas e por isso aplica-se a fundo nas atividades que exerce.

Cursou odontologia, fez curso de aperfeiçoamento em Cirurgia Bucal, Pós-graduação em Odontopediatria, Pós-graduação em Saúde Pública e agora é acadêmica de Direito.
Pessoalmente acho que é por causa da justiça e pelo atendimento de qualidade aos mais necessitados. Isso a deixa inquieta.

Ela é uma lutadora como um Che Guevara, " pero sin perder la ternura jamás”!
Consegue ser ao mesmo tempo, esposa, mãe dedicada, cozinheira, funcionária e estudante.
Coisas das grandes mulheres que conseguem enfrentar a vida nas cidades dos dias atuais.

Para nós, sobra amor, carinho, orgulho e a confissão de que às vezes, para nós ela ainda não cresceu. Tem horas que a gente confunde a doutora Ana Christina, com a princesinha.