LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

quarta-feira, 15 de junho de 2011

HOMILIA, EMOÇÃO, BELEZA E FÉ, MARCAM O ENCERRAMENTO DA MAIS BELA FESTA RELIGIOSA DO SUL DO BRASIL, EM LAGUNA


Pe, Itamar Faisca Nunes ao lado de João Jerônimo de Medeiros

SANTO ANTONIO
NOSSO INTERCESSOR
13º DIA DA TREZENA – 2011.


João Jerônimo de Medeiros – orador sacro.


Senhoras e Senhores, Boa Noite!

Inicialmente quero saudar o Pároco desta Igreja, Reverendíssimo Sr. Padre Pedro Damásio, e seu colega o Vigário Paroquial Sr. Pe. Nilo Meurer Schlickman., Pe. Itamar Faisca Nunes [...]

[...] Nesta memorável noite de Santo Antônio, Santo Antônio dos Anjos, porque da Laguna, quis o Senhor dar-me a grata satisfação, de aqui estar no encerramento da tradicional trezena dessa grande festa, para  lembrar-me e vocês confirmarem, que o vosso Padroeiro, Santo Antônio dos Anjos, é nosso grande intercessor junto a Deus.
Mas vale a pergunta:
O que realmente é ser intercessor?
Ou melhor dizendo: o que faz um intercessor?

Daminhas, pajens e gurada de honra junto ao andor de Santo Antônio

Intercessor é aquele que, se colocando no lugar do outro, pleitei a causa dele, como se fora a sua própria causa.

O Evangelista São Lucas, nos revela um exemplo divino de intercessão. [...} o maior exemplo: Aquele que nos foi dado pelo próprio Jesus Cristo crucificado, quando, do alto do Madeiro da Cruz, já nos estertores da sua morte, intercede por aqueles que o estavam matando, dizendo “ - Pai, perdoa-lhes porque eles não sabem o que fazem!”     Naquele momento Jesus intercedia ao Pai que perdoasse a todos nós, pois ele ali estava resgatando toda a humanidade pecadora, de todos os tempos, inclusive nós, pecadores, que nesta noite estamos neste sagrado templo, dedicado a Santo Antônio dos Anjos.

Antes, porém, ainda no Antigo Testamento, o livro do Êxodo nos é revela que depois do pecado de Israel, que se desviou de verdadeiro Deus para adorar o bezerro de ouro, esse Deus Misericordioso ouve a intercessão de Moisés e aceita caminhar no meio de um povo mesmo infiel, manifestando, assim o seu amor.

Outro exemplo de intercessão é relatado no Evangelho de São João, e ocorreu lá na Galileia, nas bodas de Caná. Todos conhecemos que no meio da festa, a Mãe de Jesus percebeu que o vinho estava por acabar. Sabia ela que o vinho era a alma da festa e que sua falta seria objeto de vexame para os noivos. Então, ela se achega a Jesus e intercede dizendo: “Eles não tem mais vinho!” Sabemos a resposta de Jesus: Mulher, a minha ora, ainda não chegou! Mas, aquela Senhora conhecia bem o coração de seu Filho. Virando-se para os que serviam, lhes disse: “Façam o que Ele mandar”. E Jesus mandou que enchessem os seis potes com água, transformando-a no melhor vinho da festa. (Jo2, 1-11) Foi este o primeiro milagre de Jesus e talvez ali tenha ocorrido a primeira intercessão de Nossa Senhora, na conhecida história de sua vida. A única festa conhecida que teve a presença de Nossa Senhora e de Jesus. A festa do casamento, essa instituição divina entre um homem e uma mulher, pois assim, Deus os criou, como está no livro do Genesis. “Deus os criou homem e mulher” (Gn 1, 27).

O Catecismo da nossa Igreja Católica nos ensina que entre os diversos sacramentais, as bênçãos ocupam um destacado lugar. Ao mesmo tempo em que são louvor a Deus por suas obras e seus dons, as bênçãos são a intercessão da Igreja, a fim de que os homens possam fazer uso dos dons de Deus, segundo o espírito do Evangelho.

A intercessão também está contida na Bíblia, no grande mandamento de Deus: “ama o teu próximo com o ti mesmo”. Assim, toda a Igreja é chamada ao fascinante ministério da intercessão. Todos nós podemos e devemos ser intercessores de nossos irmãos em Cristo, incluindo aí, até os nossos inimigos e os próprios inimigos da Igreja. Enfim, todos os pecadores.

A intercessão dos santos e das santas está baseada na tradição da Igreja e na Sagrada Escritura. No caso dos santos e santas, interceder é posicionar-se entre Deus e os homens, pedindo a Ele em nosso favor.

As santas e os santos se colocam em nosso lugar, sentindo de tal maneira as nossas necessidades, que diante de Deus onde já estão, ficam em oração até alcançarem a vitória de nossa causa, isto e, diante Deus, eles e elas intercedem por nós.

O nosso papa e grande teólogo da atualidade, Bento XVI, há poucos dias, na catequese mensal que faz ao mundo inteiro, nos ensinou assim: “A oração de intercessão torna operativa a Misericórdia Divina, que encontra Sua voz na súplica daquele ou daquela que reza e Se torna presente através deles onde há necessidade de salvação”.

Santo Antônio, essa excelsa figura humana, divinizada por Deus em retribuição ao seu incondicional amor a Ele, foi um grande intercessor durante sua vida terrena, pautada na plenitude da fé, da esperança e do amor. Hoje, lá no céu, continua sendo nosso grande intercessor diante de Deus, haja vista a profusão de Milagres que, por sua intercessão, Deus Nosso Senhor concede aos seus devotos. Aos seus amigos da Laguna e aos seus amigos do mundo inteiro. É Santo Antônio intercessor, o grande Taumaturgo, aquele que consegue de Deus os milagres mais extraordinários.

Seria repetitivo enumerá-los aqui nesta noite, pois já são sobejamente conhecidos os clássicos milagres obtidos junto a Deus, por intercessão de Santo Antônio. Basta, porém, perguntar-nos nesta noite:

Quem, realmente devoto de Santo Antônio dos Anjos, nesta cidade que assim o venera e invoca, não é testemunho da sempre segura e certa intercessão do grande padroeiro junto a Deus, obtendo a graça, ou mesmo o milagre, fervorosamente solicitado? Claro que Santo Antônio, como nós também devemos fazer, condiciona sempre o seu pedido à vontade de o auxilio junto a Deus, Deus e da salvação da alma de quem o solicita.

Quantos registros foram por vós vivenciados, ou que vos foram transmitidos por vossos antepassados, povoam vossas mentes agradecidas? Foram graças e milagres alcançados por essa figura impar de vosso Taumaturgo e Padroeiro, cuja imagem é venerada nessa mais que tricentenária igreja da Laguna. A proteção de Santo Antônio dos Anjos, no dia a dia desta cidade e de seu povo, é tão profunda e real, que sua venerada imagem mais parece um real habitante de vossa comunidade em todos os tempos. Pois é dessa forma, que Santo Antônio dos Anjos foi contemporâneo do vossos antepassados: de vossos bisavós e avós, de vossos pais e vosso, e o será de vossos filhos, netos e bisnetos pela vida a fora, na história dessa histórica cidade.

A piedade popular, com o dom de sua fé, reza uma linda e conhecida oração de intercessão pedindo ao Grande Taumaturgo o seu auxilio junto a Deus. É o conhecidíssimo Responso de Santo Antônio, onde, um poeta anônimo, invocativamente, nos lembra que:

Se milagres desejais,
Recorrei a Santo Antônio.
[...]

Irmãos da Confraria do Santíssimo Sacramento de Santo Antônio, irmandade em ativisade ininterrupta desde 1753 em Laguna - Santa Catarina
postado por Márcio José Rodrigues