LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

quinta-feira, 30 de junho de 2011

VIVA SÃO PEDRO




Hoje é Dia de São Pedro

O porteiro lá do céu

Ele cuida das viúvas

Nesse doido carrossel

Faz a chuva e seus fulgores

Protetor dos pescadores

Viva São Pedro, menestrel !



Clarice Villac
29.06.2011

 Clarice Villac é escritora, poeta.
Defensora do meio ambiente, principalmente no que se refere à vida dos rios e matas protetoras, defensora da vida, enfim. É sempre o maior prazer publicá-la.




Texto e imagens Clarice Villac
postagem márcio josé rodtigues

terça-feira, 28 de junho de 2011

NO CICLO DE DRUMMOND

Técnica mista sobre cartão - DENIZO - coleção particular 


FESTA JUNINA

"Noites de junho, céu estrelado,
Balões surgindo , clareando a imensidão.
Estou sozinho, abandonado
Nem a fogueira faz vibrar meu coração."***

Rosa amava Pedro,
Que amava Maria,
Que amava Antônio,
Que amava das Dores,
Que amava Paulo,
Que amava Tereza,
Que amava João,
Que amava Lindalva,
Que não amava ninguém.




Lindalva fugiu  com a cantora da banda
João ficou com Tereza,
Paulo ficou com das Dores,
Antônio ficou com Maria,
Pedro ficou com Rosa,
O cantor ficou com o sanfoneiro,
Formaram mais uma dupla caipira
 numa rede de televisão.
E foram todos infelizes para sempre.


texto e postagem Márcio José Rodrigues, baseado no poema " Quadrilha"de  Carlos Drummond de Andrade
nomes de pessoas envolvidas no enredo do texto são mera coincidência, pois referem-se aos quatro santos de junho..

*** em negrito itálico, letra da canção de Irany Oliveira "Noites de Junho"
gravada por Carlos Galhardo, 1952

SÉRIE ARTISTAS DA TERRA I - SÉRGIO GOMES MATTOS

Engenheiro Civil nascido em  Laguna, SC a 02 de fevereiro de 1945. Atualmente reside em Florianópolis. Seus hobbies  prediletos são pintar, desenhar e projetar. Declara-se um artista de estilo livre, porém  denota uma marca ligada ao impressionismo com influência modernista. Sua preferência ao pintar são as marinas. Pessoalmente é comunicativo, descontraído, afetivo, gosta de reunir a família e amigos em torno de uma boa mesa. É ligado permanentemente a Laguna, principalmente à praia do Mar Grosso, onde mantém residência de verão e lazer e lhe serve de fonte temática para sua obra.





Dominó
Banca de peixe em Laguna
Barco e Rede
Casas de Pescadores na Ponta das Pedras
Sede do Jornal "O ALBOR"

Postagem e texto Márcio José Rodrigues

segunda-feira, 27 de junho de 2011

PARA GRACINHA - NOSSO 43º ANIVERSARIO DE CASAMENTO (27/06)


Matriz de Santo Antônio dos Anjos da Laguna - Foto Bacha  em 27/06/ 1968




BAILANDO CONTIGO
                   
O que importa repetir,
ao pé do teu ouvido,
as mesmas palavras de outrora
se elas são a  única verdade a dizer?
que eu estava tão nervoso na pracinha
quando consegui romper o pânico,
o medo sem piedade de ouvir não.
cheguei, sem truques
e se tinha um discurso,
esqueci.
apaixonado e tão desajeitado,
só pude dizer aquele "ôi".
dali em diante, viramos cúmplices,
parceiros, amantes, comparsas.
alegrias que repartimos em pedaços iguais,
multiplicaram-se.
tristezas divididas
sumiram no pó do tempo.
que vontade de voltar atrás,
repetir o mesmo caminho
rir os mesmos risos
chorar quando foi preciso,
no teu ombro.
ter os mesmos filhos
ver nascerem os mesmos netos
sentir teu corpo acompanhar o meu
ao longo desta caminhada
na harmonia desta dança
do baile da vida,
que ainda hoje  bailamos
sem errar o passo,
sem  sair do ritmo.
que toque a orquestra,
que não acabe a festa.

márcio


Texto e postagem Márcio José Rodrigues



domingo, 26 de junho de 2011

IL DIVO - AMAZING GRACE -

"Amazing Grace" é um conhecido hino cristão composto pelo inglês John Newton e foi impresso pela primeira vez no Newton's Olney Hymns (1779).
É cantada por "IL DIVO", tenores de talento memorável, em alta definição e com legenda em português. O cenário é o Coliseum. 
Sua história, o que faz com que entendamos sua letra: 
depois de um curto tempo na Marinha Real, John Newton iniciou sua carreira como traficante de escravos. Certo dia, durante uma de suas viagens, o navio de Newton foi fortemente afetado por uma tempestade. Momentos depois de ele deixar o convés, o marinheiro que tomou o seu lugar foi jogado ao mar, por isso ele próprio guiou a embarcação pela tempestade. Mais tarde ele comentou que durante a tempestade ele sentiu que estavam tão frágeis e desamparados e concluiu que somente a Graça de Deus poderia salvá-los naquele momento. Incentivado por esse acontecimento e pelo que havia lido no livro, Imitação de Cristo de Tomás de Kempis, ele resolveu abandonar o tráfico de escravos e tornou-se cristão, o que o levou a compor a canção Amazing Grace ("Graça Maravilhosa"). A versão em português é cantada há muito tempo em muitas igrejas, com o nome de "Segura na Mão de Deus", composição de Nelson Monteiro da Mota"
Este video colhido no Youtube inclusive o texto está creditado para Fábio de Oliveira,





IL DIVO  - é um quarteto vocal integrado pelo norte-americano David Miller , o espanhol Carlos Marin, o suíço Urs Buhler e o francês Sebastien Izambard.

Notas em itálico e postagem Márcio José Rodrigues,

REMEXENDO CAIXAS DE PAPELÃO

Casamento de Carlos Alberto Barzan e Mércia Bárbara Rodrigues - Foto Bacha

Sempre que vejo a Malu Mader, lembro-me de como era minha irmã Mércia, só que esta, mais bonita.
Esta fotografia foi registrada em 1963 na capela do Colégio Stella Maris em Laguna, SC.
Carlos era bancário e ela, professora normalista. Vieram os filhos e o casal foi à luta. Ele cursou Economia na Unisul  em Tubarão enquanto trabalhava em Florianópolis como funcionário da empresa Celesc, distribuidora estadual  de energia elétrica. Mal terminava o expediente  tomava um ônibus noturno e corria para a faculdade a 140 km de distância. Muitas vezes, no retorno, já quase meia-moite, ao passar ao largo por Laguna, sentia saudade de estar em casa. Ela, seguindo o mesmo caminho cursou Matemática, matéria que lecionou até aposentadoria.  Ele depois do nível superior, fez em são Paulo, curso de formação para auditores. Trabalhou na empresa nesse cargo e o exerceu até ocupar a chefia da auditoria. Uma luta árdua, lenta e honesta, conquistando a vida palmo a palmo pelo caminho da formação profissional, ou seja, pela Educação. Hoje estão ambos aposentados, residem em Florianópolis. 
Sua maior diversão é curtir o neto Léo e seu novo cachorro.


Na foto abaixo, a daminha de honra, Rachel Mattos Siqueira, que acabou roubando a cena no casamento.
Rachel, hoje Siqueira Pinho, é casada com Ricardo Pinho, engenheiro, mora em Niterói. Tem três filhos e dois netos. É psicóloga.




Todos os personagens citados nessa crônica familiar abriram seus caminhos na vida, pelos caminhos da Educação. Vale a pena lembrar que educação não é gasto. 
É investimento.


texto e postagem - márcio josé  rodrigues

UMA LEITORA MUITO ALÉM DA SIMPATIA

Sra. Fanny Schiefler Lopes, ladeada pelas filhas Mariângela e Marilúcia. - foto Márcio Rodrigues, junho/2011

Este blog tem tido a intenção de tratar matérias que envolvam a cultura e aberto espaços para a poesia, o conto, a crônica, o folclore, a música, enfim aquilo que achamos de bom gosto nessas áreas.
 Hoje quero homenagear uma ilustre figura de Laguna, Dona Fanny Lopes, aqui apresentada ao lado de suas filhas Mariângela e Marilúcia, inseparáveis companheiras e guardiãs.

Dona Fanny, com a toda a autoridade dos seus mais de oitenta anos, tem sido um exemplo enorme a uma cidade tinteira, não só por suas qualidades pessoais, mas aqui, especialmente, por ser uma infatigável apoiadora dos movimentos culturais da cidade.
Em todos os acontecimentos que envolvem teatro, cinema, concertos ou lançamentos de livros, pode-se contar infalivelmente com sua presença, mesmo nas nas noites mais frias ou chuvosas.
Os escritores de Laguna têm por ela um carinho muito especial, mesmo porque é uma mulher de rara simpatia e uma leitora voraz de nossos humildes alfarrábios.
Qualquer movimento cultural em cidades como a nossa, precisa de pessoas assim para manter aceso o fogo da arte e da cultura.

texto e postagem - Márcio Rodrigues



sábado, 25 de junho de 2011

Greve professores Santa Catarina

 Não deixe de assistir a este vídeo. Seria muito divertido se não fosse tão tágico trágico para toda a educação. Professor merece respeito e sabe e muito bem o direito que lhe cabe. Como pai consciente, não posso exigir que os professores recuem para serem babás de meus filhos e de meus netos. O vídeo está postado publicamente do site do Youtube e já tem mais que uma dezena de milhares de acessos. Só você pode julgar de sua justiça ou não. Depois, aderir aos professores ou aos argumentos do governo,

Vídeo - YOUTUBE
 postagem Márcio José Rodrigues

sexta-feira, 24 de junho de 2011

CORPUS CHRISTI

Altar residencial com Exposição do Santíssimo durante a procissão em Laguna- SC

Detalhe de tapete - Laguna SC

CORPUS CHRISTI



Corpus Christi (o Corpo de Cristo) é a festa católica da Eucaristia, palavra que significa simplesmente, comunhão.
É Celebrada desde o início do séc. XIII na cidade de Colônia, Alemanha e dali se irradiou para toda a Europa, o mundo, enfim. No Brasil a tradição chegou com a colonização portuguesa.

A data é móvel, mas sempre em uma quinta -feira e obedece uma sequência cronológica. Páscoa, Ascensão de Jesus, Domingo de Pentecostes, Santíssima Trindade, Corpus Christi.
Em muitos lugares é a conhecida festa dos tapetes artesanais enfeitando as ruas por onde deve passar a procissão, a mais solene e nobre da Igreja Católica.

Para o povo Católico, a Eucaristia é o maior bem de toda a Igreja e de toda a Humanidade. Basta dizer que, sem  ela, não teria sentido a existência do catolicismo. Ela é o centro, o ponto de partida e de chegada de toda a fé e das celebrações litúrgicas, que estão nela alicerçados. Sem Eucaristia, nada resta.
 Mas, enfim, o que é?
É a "Transubstanciação" da matéria pão e vinho, no corpo e sangue de Cristo e se realiza a cada celebração da Santa Missa.
Transubstanciação vai além de transformação, o que ocorreria somente na forma, mais além de uma reação química, que se realizaria em nível molecular ou mesmo a transmutação, onde o fenômeno seria no âmbito do núcleo atômico da matéria.
Transubstanciação das espécies de pão e vinho  no corpo e sangue de Cristo, O faz presente naquele momento em cada partícula ou hóstia, no vinho ou em qualquer fração deles. Ocorre durante a  "Consagração", o motivo da missa.
A Eucaristia é a celebração da Última Ceia, quando Jesus apresentou o pão e o cálice com vinho e afirmou "Isto é o meu Corpo" e "Isto é o meu sangue", e depois convidou, "comei", "bebei", "todos" e pediu,
"fazei isto em memória de mim".
Por isso a Eucaristia é um memorial, muito além de uma simples lembrança ou homenagem, mas  um ato sempre atual e se realiza independente de questões de tempo.
É a própria Santa Ceia sempre no tempo presente, a cada celebração.
Eucaristia é partilha do alimento, do pão e do vinho consagrados e nos convida  à partilha do amor e dos bens materiais.

A festa de Corpus Christi é comemorada  ininterruptamente em Laguna (SC) pelo menos, desde 1753, quando foi fundada a Confraria do Santíssimo Sacramento e de Santo Antônio, cujas atividades se mantêm diuturnamente desde aquela época.

Nota do autor : O espírito deste blog é respeitar todas as religiões.
Afinal, somos todos como rodas de um mesmo eixo, onde cada uma tem sua trilha, mas no mesmo caminho e para o mesmo destino.

Márcio José Rodrigues - texto e postagem



quarta-feira, 22 de junho de 2011

O SEGREDO DO BOTO

conto por Mário José Rodrigues


BORRACHINHA - um dos botos mais queridos  dos pescadores

Uma canoa desgarrada descia  a maré vazante em direção ao mar.
Sem um remador que a conduzisse, deslizava suave ao sabor da correnteza.
Levava bem acomodada no fundo, uma criança recém nascida, cuidadosamente enrolada em panos de algodão e pelúcia. O ruído das ondas agitadas pelo vento norte não deixariam que alguém pudesse ouvir o choro desesperado.

Não muito longe, no casebre do pescador Foguinho, a lamparina de querosene ainda não apagara a chama, mal iluminando a pequena peça da cozinha e projetando sombras contra as paredes toscas de tábuas. A corrente de ar filtrada pelas frestas fazia a chama dançar, mudando a tonalidade das imagens mal definidas dos rostos de um casal silencioso e taciturno, que teimava em permanecer fora da cama a horas tardias.
O silêncio desses dos dois personagens escondia  um segredo terrível.

Na noite anterior a cena nesse mesmo local, tinha sido muito diferente e conturbada.
A mulher acabara de dar à luz, um menino.
O  recém-nascido tinha  cabelos negros como o alcatrão, os grandes olhos escuros, a pele morena.
Tudo estaria perfeito, não fossem certos detalhes.

Ora, o apelido que o homem carregava no lugar do nome de batismo, havia recebido pela cor de seus cabelos de fogo, a pele avermelhada salpicada de sardas. A mulher possuía os cabelos ainda mais ruivos.  Os filhos, dois pirralhos espertos, tinham bem saído aos pais, com os mesmos cabelos de ferrugem, as mesmas sardas e os olhos mais azuis que o céu do mês de maio.
Não tivesse o próprio pai assistido o parto, cortado ele mesmo o cordão do umbigo a bem medidos cinco dedos de espaço e o amarrado com linha de pesca, diria  que o menino teria sido trocado, como coisa de  um sortilégio ou feitiço

- Este menino não parece meu filho!... balbuciou sem jeito.

A mãe nada contestou. Instintivamente, num gesto tão inesperado quanto estranho,  estreitou a criança contra o peito, encolhendo-se sobre ela, como a protegê-la de uma já prevista agressão.
O homem implorou por uma explicação.
A mulher encolheu-se ainda mais.
O silêncio constrangedor só fez  envenená-lo em suas dúvidas.
A cabeça latejava. O coração ferido ante a expectativa de uma traição, batia desencontrado. Sentimentos de raiva cambiavam com os de tristeza e decepção, enquanto ondas de ciúme e decepção alimentavam uma angústia opressora.
Da mulher não arrancou nenhuma confissão , mesmo diante da  faca ainda suja com o sangue do trabalho de parto. A mente do pescador triturava os pensamentos, torturando-o com  suspeitas que nenhum homem poderia suportar. Depois ainda viria  a humilhação perante os vizinhos e companheiros, o riso disfarçado e a pilhéria no balcão da venda.

Ante o desvairio do homem e uma sombria ameaça contra as crianças, a mulher cedeu.
Mesmo inconsolável, aceitou levar a cabo um plano macabro.

No dia seguinte, entre rezas e lamúrias das velhas carpideiras, uma caixinha com areia foi conduzida ao cemitério da aldeia, simulando o enterro de um natimorto, as crianças levando raminhos de flores do campo.  
Passaram-se estações, sucederam-se  as temporadas  e a  faina sem fim das lidas da pesca, mas as noites do casal seriam sempre povoadas de pesadelos.
O remorso é uma dor que só se cura quando a pessoa perdoa a si mesma.
Nos piores momentos,  muitas lágrimas para a mulher.
Para o homem, a cachaça.

Alguns anos depois, quando os meninos já eram quase homens feitos, apareceu no pesqueiro,  um jovem moreno e forte.
Não possuía canoa nem pertences e ninguém se lembrava já tê-lo visto em um lugar qualquer.
Pescava com habilidade notável e onde andava por aquela barra de rio, sempre havia um grupo de botos por perto. Coisas  estranhas que rondavam o jovem pescador levavam a crer que os botos o conheciam e  que  parecia dirigir-se a eles por meio de sons ininteligíveis.
Por onde pescava sempre havia botos -  e tainhas em abundância.
Solitário,  só não se esquivava da aproximação dos filhos de Foguinho, que sempre saíam de balaio cheio, enquanto as tarrafas dos outros  voltavam vazias.
Ninguém sabia onde dormia ou onde morava. Desaparecia com o anoitecer e se antecipava a todos ao nascer do sol.
A única casa de que se permitia aproximar  era a desse pescador.
A mulher costumava observá-lo sem o entender, mas com um sentimento de inexplicáveis  ternura e compaixão.  Ela já havia  percebido em seus olhos, um  triste ar de abandono e súplica quando  a envolviam  com inocência e lhe  faziam aflorar sentimentos de mal disfarçada ternura.
Não foi uma vez só, que a quase certeza materna, parecia dizer-lhe que  conhecia aquele moço.


Lá fora povo dizia:
-  Ele é filho do boto!
E daí, a figura foi se envolvendo  cada vez mais em brumas de mistério, até que virasse uma espécie de lenda viva, enriquecida aqui e ali com recortes de imaginação nas rodas de cachaça.
As moças do local espalhavam histórias de um olhar poderoso e irresistível que as deixava enfeitiçadas. Não tardaram a identificá-lo  como um mau espírito ou demônio desses povoados açorianos, e  logo passou a representar o perigo, o mal personificado saído das artimanhas de alguma bruxa.

E assim, foi:
Um grupo de homens, na calada de uma noite escura, atacou-o de surpresa.
Os demais moradores da aldeia estranharam o súbito desaparecimento, mas acabaram aceitando que ele tivesse ido embora tão misteriosamente quanto havia aparecido um dia.
Só a mulher de Foguinho saia  a procurá-lo, mas em suas buscas só encontrou dor de saudade, um sentimento amargo de culpa, que não passaria nunca.  
Aquele macabro segredo morreu com aquela gente,
O tempo  leva todas as coisas.
Todos eles se foram também.

Só os botos ficaram.
Desde aqueles tempos, nunca mais abandonaram esses lugares e ainda hoje cercam as tainhas para os pescadores de tarrafa do pontal da barra.

Parte da seqência do salto de BORRACHINHA

 Ronaldo Amboni é um fotógrfo Lagunense que se tem destacado com fotos espetaculares. Além da fina sensibilidade, tem uma especial dedicação à sua arte, que vai com certeza encantar a todos que tiverem oportunidade de apreciá-la.
Agradeço a deferência pela cessão das belas imagens para ilustrar este conto,

Os botos de Laguna SC, Brasil, mantêm uma estranha e maravilhosa parceria com os pescadores de tainhas. Todos têm nome próprio e são reconhecidos por suas características peculiares, As mães ensinam os filhotes a arte de lidar com os pescadores.

sábado, 18 de junho de 2011

HAICAIS DE INVERNO

Cipó-de-São João - Valinhos, SP - foto Clarisse Villac


Haicais de Inverno 2011
por Clarisse Villac


manhãzinha branca

densa neblina na serra -

as matas respiram...



barranco enfeitado

festa para beija-flores -

cipó-de-são-joão !
    


cores na cidade

em meio à poluição -

Viva! azaleias!




papeis coloridos

risos, barbante, tesouras

Pronto! bandeirinhas!




Escritora e poeta

Hai

UMA TROCA VANTAJOSA


Marco Antônio e Beatriz



Esses dois aí, Beatriz  de 9 anos e seu pai Marco Antônio Duarte Rodrigues , trocaram a Disneylândia por uma viagem a Paris. Hoje Beatriz conheceu o Museu do Louvre onde se emocionou ao ver  a " Mona Lisa" de Leonardo da Vinci.
- Ela é linda! - foi a sua expressão.
Passeios escolhidos, hoje conheceram o Arco do Triunfo e dali iriam para a Torre Eiffel, mas a viagem está apenas começando.
Marco Antônio é advogado em Florianópolis e nosso filho mais velho. Acho que seguiu a escolha acertada, em além de conviver uma aventura inesquecível com a filha, proporciona-lhe uma experiência de cultura, lazer e maior estreitamento de laços afetivos.
Sempre recomendo aos meus filhos. com relação aos filhos deles:
É mais importante estar presente, do que dar presentes!

Isto eu recomendo a todos, mesmo os que não podem fazer uma viagem dessas, pois essses encontros podem acontecer num fundo de quintal, na paraça da cidade,comendo pipocas num domingo de sol.
O mais importante é estarem juntos e por eles agradeço a Deus. 
 
Postagem márcio José Rodrigues


sexta-feira, 17 de junho de 2011

UM ANO SEM SARAMAGO


JOSÉ SARAMAGO - imagem Google

Neste 18 de junho completa-se um ano do falecimento do monumental JOSÉ SARAMAGO, escritor português e Prêmio Nobel de Literatura - 1988.

De origem humilde e filho de agricultores, chegou a trabalhar como operário, mas com um intenso amor pelos livros. Nessa condição freuqentava assiduamente as bibliotecas.
Para animar nossos amigos poetas e escritores, ele também experimentou a rejeição dos editores e teve também seus infortùnios de não conseguir publicar algumas de suas obras, antes de ganhar renome no mundo editorial.

Em literatura, frequentou praticamente todos os gêneros, desde o jornalismo, a crônica, a poesia, o teatro, o conto e até o conto infantil, mas foi o gênero Romance,  que realmente o consagrou.
Saramago era ateu confesso, socialista e membro do Partido Comunista em Portugal.
Foi um crítico severo contra a Igreja Católica. Embora não comungando com a linha filosófica de seu pensamento, não podemos negar-lhe a genialidade e o mérito de projetar definitivamente a literetura lusitana.
Entre suas inumeráveis obras, listamos algumas das mais importantes:

O EVANGELHO SEGUNDO JESUS CRISTO
A JANGADA DE PEDRA
ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA
A CAVERNA
AS INTERMITÊNCIAS DA MORTE.
 "Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais." - José Saramago

postagem e texto Márcio José Rodrigues

quinta-feira, 16 de junho de 2011

ARCHIMEDES DE CASTRO FARIA

um poeta denuncia a indiferença do poder

"Ai dos que vivem despreocupadamente em Sião, os que se sentem seguros nas alturas de Samaria! Os que dormem em camas de marfim, deitam-se em almofadas, comendo cordeiros do rebanho e novilhos de seu gado; os que cantam ao som das harpas ou, como Davi, dedilham instrumentos musicais; os que bebem vinho em taças e se perfumam com os mais finos unguentos e não se preocupam com a ruína de José."
Profeta Amós.


:
Foto - Cirilo de Castro Faria
Veja nos versos abaixo como a denúncia de Amós,  transmuda-se , na linguagem de um mestre da poesia e ganha força, graça, impacto e atualidade.



"A cada instante, pois, em todo mundo
Há alegres e tristes criaturas,
Que de tristes e alegres ocorrências
Vive o mundo em suas estruturas.

Os tipos de poder mais absurdos,
Honrarias e luxos requintados
-Eis um lado da vida, enquanto outro
Abriga milhões de desgraçados"



Da obra póstuma de Archimedes de Castro Faria, " NA TERRA DOS HOMENS", Design Editora, 2010.

O poeta Nasceu em Campos, RJ em 1910. Viveu em Laguna, meio século, de 1947 até 1997, ano de sua morte.
Autoditada, com apenas o curso primário, dominava a língua portuguesa e a gramática como um mestre, além de um vasto conhecimento sopbre poesia. Não conseguia esconder uma predileção entusiasmada pelo "Poeta dos Escravos" Antônio de Castro Alves.

 postagem e notas Márcio José Rodrigues.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

HOMILIA, EMOÇÃO, BELEZA E FÉ, MARCAM O ENCERRAMENTO DA MAIS BELA FESTA RELIGIOSA DO SUL DO BRASIL, EM LAGUNA


Pe, Itamar Faisca Nunes ao lado de João Jerônimo de Medeiros

SANTO ANTONIO
NOSSO INTERCESSOR
13º DIA DA TREZENA – 2011.


João Jerônimo de Medeiros – orador sacro.


Senhoras e Senhores, Boa Noite!

Inicialmente quero saudar o Pároco desta Igreja, Reverendíssimo Sr. Padre Pedro Damásio, e seu colega o Vigário Paroquial Sr. Pe. Nilo Meurer Schlickman., Pe. Itamar Faisca Nunes [...]

[...] Nesta memorável noite de Santo Antônio, Santo Antônio dos Anjos, porque da Laguna, quis o Senhor dar-me a grata satisfação, de aqui estar no encerramento da tradicional trezena dessa grande festa, para  lembrar-me e vocês confirmarem, que o vosso Padroeiro, Santo Antônio dos Anjos, é nosso grande intercessor junto a Deus.
Mas vale a pergunta:
O que realmente é ser intercessor?
Ou melhor dizendo: o que faz um intercessor?

Daminhas, pajens e gurada de honra junto ao andor de Santo Antônio

Intercessor é aquele que, se colocando no lugar do outro, pleitei a causa dele, como se fora a sua própria causa.

O Evangelista São Lucas, nos revela um exemplo divino de intercessão. [...} o maior exemplo: Aquele que nos foi dado pelo próprio Jesus Cristo crucificado, quando, do alto do Madeiro da Cruz, já nos estertores da sua morte, intercede por aqueles que o estavam matando, dizendo “ - Pai, perdoa-lhes porque eles não sabem o que fazem!”     Naquele momento Jesus intercedia ao Pai que perdoasse a todos nós, pois ele ali estava resgatando toda a humanidade pecadora, de todos os tempos, inclusive nós, pecadores, que nesta noite estamos neste sagrado templo, dedicado a Santo Antônio dos Anjos.

Antes, porém, ainda no Antigo Testamento, o livro do Êxodo nos é revela que depois do pecado de Israel, que se desviou de verdadeiro Deus para adorar o bezerro de ouro, esse Deus Misericordioso ouve a intercessão de Moisés e aceita caminhar no meio de um povo mesmo infiel, manifestando, assim o seu amor.

Outro exemplo de intercessão é relatado no Evangelho de São João, e ocorreu lá na Galileia, nas bodas de Caná. Todos conhecemos que no meio da festa, a Mãe de Jesus percebeu que o vinho estava por acabar. Sabia ela que o vinho era a alma da festa e que sua falta seria objeto de vexame para os noivos. Então, ela se achega a Jesus e intercede dizendo: “Eles não tem mais vinho!” Sabemos a resposta de Jesus: Mulher, a minha ora, ainda não chegou! Mas, aquela Senhora conhecia bem o coração de seu Filho. Virando-se para os que serviam, lhes disse: “Façam o que Ele mandar”. E Jesus mandou que enchessem os seis potes com água, transformando-a no melhor vinho da festa. (Jo2, 1-11) Foi este o primeiro milagre de Jesus e talvez ali tenha ocorrido a primeira intercessão de Nossa Senhora, na conhecida história de sua vida. A única festa conhecida que teve a presença de Nossa Senhora e de Jesus. A festa do casamento, essa instituição divina entre um homem e uma mulher, pois assim, Deus os criou, como está no livro do Genesis. “Deus os criou homem e mulher” (Gn 1, 27).

O Catecismo da nossa Igreja Católica nos ensina que entre os diversos sacramentais, as bênçãos ocupam um destacado lugar. Ao mesmo tempo em que são louvor a Deus por suas obras e seus dons, as bênçãos são a intercessão da Igreja, a fim de que os homens possam fazer uso dos dons de Deus, segundo o espírito do Evangelho.

A intercessão também está contida na Bíblia, no grande mandamento de Deus: “ama o teu próximo com o ti mesmo”. Assim, toda a Igreja é chamada ao fascinante ministério da intercessão. Todos nós podemos e devemos ser intercessores de nossos irmãos em Cristo, incluindo aí, até os nossos inimigos e os próprios inimigos da Igreja. Enfim, todos os pecadores.

A intercessão dos santos e das santas está baseada na tradição da Igreja e na Sagrada Escritura. No caso dos santos e santas, interceder é posicionar-se entre Deus e os homens, pedindo a Ele em nosso favor.

As santas e os santos se colocam em nosso lugar, sentindo de tal maneira as nossas necessidades, que diante de Deus onde já estão, ficam em oração até alcançarem a vitória de nossa causa, isto e, diante Deus, eles e elas intercedem por nós.

O nosso papa e grande teólogo da atualidade, Bento XVI, há poucos dias, na catequese mensal que faz ao mundo inteiro, nos ensinou assim: “A oração de intercessão torna operativa a Misericórdia Divina, que encontra Sua voz na súplica daquele ou daquela que reza e Se torna presente através deles onde há necessidade de salvação”.

Santo Antônio, essa excelsa figura humana, divinizada por Deus em retribuição ao seu incondicional amor a Ele, foi um grande intercessor durante sua vida terrena, pautada na plenitude da fé, da esperança e do amor. Hoje, lá no céu, continua sendo nosso grande intercessor diante de Deus, haja vista a profusão de Milagres que, por sua intercessão, Deus Nosso Senhor concede aos seus devotos. Aos seus amigos da Laguna e aos seus amigos do mundo inteiro. É Santo Antônio intercessor, o grande Taumaturgo, aquele que consegue de Deus os milagres mais extraordinários.

Seria repetitivo enumerá-los aqui nesta noite, pois já são sobejamente conhecidos os clássicos milagres obtidos junto a Deus, por intercessão de Santo Antônio. Basta, porém, perguntar-nos nesta noite:

Quem, realmente devoto de Santo Antônio dos Anjos, nesta cidade que assim o venera e invoca, não é testemunho da sempre segura e certa intercessão do grande padroeiro junto a Deus, obtendo a graça, ou mesmo o milagre, fervorosamente solicitado? Claro que Santo Antônio, como nós também devemos fazer, condiciona sempre o seu pedido à vontade de o auxilio junto a Deus, Deus e da salvação da alma de quem o solicita.

Quantos registros foram por vós vivenciados, ou que vos foram transmitidos por vossos antepassados, povoam vossas mentes agradecidas? Foram graças e milagres alcançados por essa figura impar de vosso Taumaturgo e Padroeiro, cuja imagem é venerada nessa mais que tricentenária igreja da Laguna. A proteção de Santo Antônio dos Anjos, no dia a dia desta cidade e de seu povo, é tão profunda e real, que sua venerada imagem mais parece um real habitante de vossa comunidade em todos os tempos. Pois é dessa forma, que Santo Antônio dos Anjos foi contemporâneo do vossos antepassados: de vossos bisavós e avós, de vossos pais e vosso, e o será de vossos filhos, netos e bisnetos pela vida a fora, na história dessa histórica cidade.

A piedade popular, com o dom de sua fé, reza uma linda e conhecida oração de intercessão pedindo ao Grande Taumaturgo o seu auxilio junto a Deus. É o conhecidíssimo Responso de Santo Antônio, onde, um poeta anônimo, invocativamente, nos lembra que:

Se milagres desejais,
Recorrei a Santo Antônio.
[...]

Irmãos da Confraria do Santíssimo Sacramento de Santo Antônio, irmandade em ativisade ininterrupta desde 1753 em Laguna - Santa Catarina
postado por Márcio José Rodrigues

segunda-feira, 13 de junho de 2011

CERIMÔNIA DE CASAMENTO, MARCA O DIA DOS NAMORADOS EM LAGUNA

Comemorando com cinco estrelas o Dia dos Namorados, a Igreja Matriz de Santo Antônio dos Anjos da Laguna, celebrou 11 casamentos em uma mesma cerimônia repleta de beleza e emoção, neste domingo do dia 12 de junho de 2011, às onze horas da manhã.


O belo templo barroco, ornamentado com rosas vermelhas em magníficos arranjos, recebeu onze casais para a cerimônia do Sacramento do Matrimônio.

Os padrinhos foram os Festeiros de Santo Antônio.

Celebrante, o Pároco Pe. Pedro Damázio.

CATARINA NÃO PERDE A ESPERANÇA! VAI QUE NÓIS GANHA?

domingo, 12 de junho de 2011

DIA DOS NAMORADOS - UMA HOMENAGEM A TODOS QUE AINDA TENTAM CONQUISTAR O AMOR

por Márcio José Rodrigues (texto e fotos)

Dia dos namorados no Brasil, The Valentine's Day nos Estados Unidos e parte da Europa, celebra o encontro, a união e o amor.
Na verdade três são os São Valentim, e de épocas diferentes, mas a lenda que interessa a essa celebração, data do séc. IV da era cristã.e recai sobre um "certo" São Valentim. Este teria sido um bispo que casava os jovens, mesmo desobedecendo ordens do imperador romano e por isso foi martirizado num dia 14 de fevereiro. Mas, é bom salientar que esses fatos não têm comprovação histórica.
No Brasil o "Dia dos Namorados" iniciou em São Paulo por manobra de comerciantes, no intuito de aumentar a venda de presentes e a data ficou marcada em 12 de junho, véspera de Santo Antônio, padroeiro dos namorados na tradição católica.

Namorados são aqueles casais de jovens de qualquer idade, que se lançam à uma experiência de relacionamento, com pretensões a um projeto a longo prazo, um investimento de vida com olhares no futuro a dois.

Não tem nada de semelhante ao "ficar", que não passa de uma exploração mútua entre pessoas, da companhia passageira e da sexualidade, do curtir a balada para passar o tempo ou satisfazer um instinto carnal ou simplesmente varrer o tédio e a solidão. Nesse caso, o parceiro(a) não tem qualquer tipo de compromisso com o destino do outro e geralmente a mulher só leva desvantagem, ficando marcada dentro do grupo social a que pertence. Expõe-se a riscos, doenças, violência, e quando passa a ressaca, parte para outro caso.

Namorados têm um sentimento mais profundo de respeito mútuo, de preservação da pessoa do outro, numa parceria que envolve o bem querer, a conquista, o sonho, sem contudo excluir a paixão. Bem sucedido, traz grandes momentos de felicidade e é um bom caminho para chegar lá. Mas, o namoro não conduz necessariamente ao sucesso da relação, posto que seja uma experiência empírica de vida a dois, como um aprendizado em conhecer melhor o oposto, uma adaptação que pode dar certo ou não. Mas é sempre sincera e bem intencionada. Tradicionalmente, leva a ao noivado e ao casamento e até ultrapassa estes patamares e pode durar uma vida inteira sem depender de idade.
Esse "Dia dos Namorados" é o que estamos festejando.
Antônio de Pádua e Jadna, namorando durante a festa de Santo Antônio dos Anjosda Laguna, mesmo depois de avós.


sexta-feira, 10 de junho de 2011

FÁBULA ATUALIZADA DOS TRES PORQUINHOS

por Márcio José Rodrigues

Para começar esta história, devo dizer que nunca entendi porque três porquinhos domésticos estavam morando em uma floresta cheia de armadilhas e um lobo mau que só desejava comê-los.


Como porquinhos domésticos, não se desgastavam em trabalhar,
já que  estavam acostumados a ser alimentados e para eles nem interessava de onde saia a comida farta e fácil.

O caçula chamava-se Cícero e passava os dias tocando flauta e dançando. Heitor, o do meio, um exímio violinista. O mais velho, não tinha nada de romântico . Como era mesmo nome? Ah! Começava com a letra pê.... Prático, isso!
 Prático era o nome do porquinho mais velho. Prático, prudente, previdente, prevenido, precavido, ao saber que um lobo mau andava rondando a floresta para comê-los, foi morar na casa mais forte, uma verdadeira fortaleza capaz de blindar qualquer morador que nela se alojasse.

Na história que gente aprendeu, Cícero, o flautista, construiu um casebre de gravetos e palha, Heitor o violinista, uma de madeira e Prático, uma forte casa de tijolos e argamassa de cimento.

Como todo mundo pensa que já sabe o enredo, espera que lobo mau destrua a casa de gravetos, depois a de madeira e esbarre por fim na fortaleza do porquinho sabido.

Pois foi a maior surpresa!

Lobo Mau começou o ataque exatamente pela fortaleza e comeu o porquinho mais sabido. Agora ficou bem mais fácil atacar a casinha de madeira e depois a de palha.

Tem algo novo muito estranho acontecendo na floresta.

Como, pôde Lobo Mau inverter o curso da fábula?

Dizem que foram uns fofoqueiros que escreveram coisas, espalham as notícias por toda a floresta e acabaram revelando um buraco secreto na parede.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

TINA SABE, TINA PULA!

 

Princesinha , com seus olhos grandes e escuros, cílios longos e encurvados, cresceu.
Comemora mais um aniversário ( pra mais de trinta) neste 9 de junho, data  que,  quando pequena, saia anunciando pela cidade e arrebanhando convidados de surpresa. 
Como dona Graça a vestia sempre com muito esmero, ela conservou até hoje este apuro pelo bem vestir, terror dos guarda roupas atulhados.
Gostava de fugir para as vizinhanças.
Um dia, uma cigana a viu no portão da casa, e fez uma proposta de comprá-la.
Não levamos a sério.
Tina despareceu!
 Foi um Deus nos acuda.
Delegado Péricles Faria, com muita prudência,  colocou a polícia de prontidão. A suspeita caia sobre as cabeças dos pobres ciganos, mas eles nem foram molestados. 
Ela havia simplesmente se infiltrado na casa da vizinha Dona Laura, se escondido atrás de um sofá, onde dormiu uma sesta despreocupada.

Sempre teve uma alegria muito grande em aprender algo novo.
Tinha uns três anos e havia finalmente aprendido a pular numa perna só. Escutei uns "tum-tum" no assoalho de madeira da sala. Ela era pulando como um saci, e dizendo para si mesma, super convencida:
- Tina Sabe! Tina Pula!
Isto não era coisa simples, como parece. Ela havia treinado muito até chegar ali.
Esta vontade de  aprender e conseguir lutando, sempre a impulsionou mais longe, para as metas que deseja, mas sem deixar o  romantismo que a caracteriza.
Desenvolveu um alto senso de questionamento social, uma sede de conhecer a verdade das coisas e por isso aplica-se a fundo nas atividades que exerce.

Cursou odontologia, fez curso de aperfeiçoamento em Cirurgia Bucal, Pós-graduação em Odontopediatria, Pós-graduação em Saúde Pública e agora é acadêmica de Direito.
Pessoalmente acho que é por causa da justiça e pelo atendimento de qualidade aos mais necessitados. Isso a deixa inquieta.

Ela é uma lutadora como um Che Guevara, " pero sin perder la ternura jamás”!
Consegue ser ao mesmo tempo, esposa, mãe dedicada, cozinheira, funcionária e estudante.
Coisas das grandes mulheres que conseguem enfrentar a vida nas cidades dos dias atuais.

Para nós, sobra amor, carinho, orgulho e a confissão de que às vezes, para nós ela ainda não cresceu. Tem horas que a gente confunde a doutora Ana Christina, com a princesinha.