LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

segunda-feira, 16 de abril de 2012

LAGUNIDADE - PONTE DA CABEÇUDA


 Decisões tão intempestivas quanto inexplicáveis partindo do General JORGE FRAXE Diretor nacional do DNIT, são extremante prejudiciais à concretização da BR 101 aqui no sul de Santa Catarina. 


General Jorge Fraxe

Empresas abandonam os canteiros de obras, dispensam funcionários, recolhem equipamentos e desfazem contratos.


A bancada federal de santa Catarina, bem que poderia pressionar o poder executivo e fazer o DNIT repensar a atitude.

A morosidade das obras num trecho tão pequeno entre Laguna e Tubarão é um desafio à paciência do mais pacato cidadão.
Espaço totalmente plano, aberto, largo e de apenas 24km de extensão consome a maior parte do tempo de uma viagem Porto Alegre Florianópolis, que chega a retardar até 3 horas.


Para os cofres públicos, o que se gasta com as gambiarras provisórias de desvios e retrocessos, já deve ter ultrapassado muito mais que o custo da obra.


Além de prejuízos materiais aos veículos, principalmente os pesados , a rodovia é uma matadora contumaz, ceifadora de vidas preciosas que não aparecem em planilhas financeiras da república.


Agora, nova bomba saída da lavra do general.


Suspensão da licitação e descontinuidade da construção da ponte sobra as Lagoas Imaruí e Santo Antônio entre as localidades de Cabeçuda e Laranjeiras.
Na verdade, a ponte é entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, entre o Brasil e Mercosul.
Esta obra é de todo especial, posto que, estaiada, não oferece risco ecológico para o meio ambiente lacustre, deixando livre o fluxo das marés.
Qualquer projeto que utilize aterros deve ser veemente rechaçado.


Lagunenses, o preço da liberdade é a eterna vigilância.

PROJETO DA NOVA PONTE DE ACORDO COM A ECOLOGIA DO SISTEMA LACUSTRE.

OBSERVE O AÇOREAMENTO DAS LAGOAS COM O ATERRO DA ATUAL PONTE. O FLUXO DAS ÁGUAS FOI ESTRANGULADO, O QUE ESTÁ MATANDO AS LAGOAS IMARUÍ E MIRIM.