LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

domingo, 8 de janeiro de 2012

O SONO TRANQUILO DO JUSTO

Imagem Google

                                                                                                          por Márcio José Rodrigues

Dorme Sua Excelência
O sono do justo
(ou do justiceiro)
Sem culpa nem remorso
Na noite escura da sociedade
O estuprador estrangula
Mais uma menininha
Antes que os olhos embacem
Mostra-lhe o “habeas corpus”
Concedido por Sua Excelência
O matador profissional
Repete indefinidamente
A rotina macabra
Da chacina dos inocentes
Calando vozes clamantes
De justiça e abandono
Para Sua Excelência
Não satisfazem os brados
Das testemunhas
Das mães desesperadas
Das viúvas e dos órfãos
Nem das marcas gravadas
Em série como troféus
Na coronha da pistola
Outra Sua Excelência
Eleita e genocida
Rouba a verba das vacinas
Da construção do hospital
Da compra das ambulâncias
Porque Sua Excelência
Garante a impunidade
Quem trabalha
É punido com o pesado ônus
Das taxas e dos juros
Pois com eles
Sua Excelência
Não tem clemência
Senhor Deus
Este teu povo
Precisa mais que justiça
Precisa de vingança!