LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

quarta-feira, 26 de abril de 2017

       O ARTIGO TERCEIRO (6)
   O PODER
                                           (texto e postagem márcio josé rodrigues)

            Quando Mãe Natureza Criadora gerou os viventes deu-lhes três dons:
- Uma inteligência para aprender as coisas necessárias de viver, uma vontade para agir e sobreviver e uma consciência para dizer o que é certo ou o que é errado.
Ficou estabelecido que todos podem fazer o que quiserem, desde que  obedeçam à consciência e não façam nada de ruim à natureza (que, é o conjunto do ar e dos ventos, da água, dos rios e fontes, da terra onde pisamos e de tudo o que nela vive).
Todo indivíduo que cuida da natureza é um político.

Botos pescadores no canal  da barra - Laguna (foto Elvis Palma)



Mas, um dia, há muitos séculos atrás, apareceu uma doença misteriosa que atingiu a consciência de alguns viventes, "o poder."
Foi assim que nasceu o primeiro Sapolítico, que é um indivíduo doente de “poder”.
O Poder é uma anomalia ou disfunção, um acidente nos caminhos da evolução que aconteceu na espécie dos sapos e vem afetando muitos indivíduos há várias gerações.
O poder se origina num lugar da personalidade de cada vivente, chamada Consciência Moral, que cada criança vai adquirindo aos poucos desde cedo e pela vida toda, por meio  da educação, como respeito, compaixão, direito, dever, verdade, justiça e liberdade.
Os grandes Sápios chamaram a esta consciência moral de Superego.
E quem não tem superego é conhecido como Psicopata, que é um predador além da necessidade de viver.

Não é fácil distinguir um psicopata entre os demais da população.
Porque eles são mestres no disfarce. São muito inteligentes e sabem ser encantadores.
São mentirosos descarados, convincentes e muito imaginosos.
São fascinados pelo poder.
São capazes de qualquer coisa, para ter o poder, Ficar no poder, Conservar o poder.
Esta “qualquer coisa” inclui mentir, enganar, encantar, fingir, representar (e coisas muito piores, horrendas).
Eles não sentem remorso, nunca, não têm a consciência moral para se arrependerem de nada.
Passam por cima de colegas, caluniam, denunciam, bajulam, sempre para subir mais no poder.

Agora, preste atenção neste sinal muito claro:
Eles não sentem gratidão.
Jamais terão algum reconhecimento por algo que você fez por um deles.
Se você já recebeu esta resposta, “você fez porque quis, eu não lhe pedi”, você pode estar diante de um psicopata.

Enfim, “O Poder” os seduz e os deixa completamente alucinados. Possui um feitiço que os domina de tal forma, que neles, corpo, mente, coração, existem somente em função de “O Poder”.
Um Sapoderoso é movido por três forças que podem ser também sua fraqueza: a ambição, a vaidade e o medo.
Por isso, precisam ser muito ricos e não importam os meios.


Precisam ser ricos para terem “amigos” e serem admirados, balulados.
Para serem ricos corrompem e são corrompidos.
Mas vivem em estado de angústia permanente, pois não são amados.
Não podem confiar em ninguém.
E vão viver assim para sempre, em sobressalto permanente, em guarda, sem trégua nem descanso, sempre desconfiando, acordados ou dormindo.

Se você ainda quer o poder, saiba que não poderá nunca mais sentir nojo, vergonha, compaixão ou remorso - e paz.


Medo

Medo, o algoz que atormenta,
Invadindo tua noite solitária,
Em cada canto escuro se apresenta
Imagem de fantasma, imaginária.

Vampiro mau de asas monstruosas
Que se debruça e te oprime o peito
Sombras do mistério, tenebrosas,
Que te sufocam no teu próprio leito.

Ah! Que angústia, dor e sofrimento.
Sentir o coração bater incerto.
Lá dentro, fria, a garra poderosa,
Cruel, tenaz, sem afrouxar o aperto.

Um poder que não se mostra, entanto,
Demônio pronto a aparecer num instante,
Presença ruim envolta em negro manto,
Prestes a troar, num grito horripilante.