LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

sábado, 8 de abril de 2017

            O ARTIGO TERCEIRO (2)
           A ESPADA DE SAPALOMÃO
 marcio jose rodrigues

O mundo nunca foi mais o mesmo desde que surgiram os sapos.
Parece que eles saíram da forma com um erro de projeto, na cabeça, lá neles. Por isso eles carregam uma espécie de paranoia uma coisa chamada “o poder”.

Uma vez, dois reis rivais, Sapanhol e Saportuga, importantes sapotentes, queriam ambos, muito mais poder. Estavam em vias de uma guerra terrível para que o mundo inteiro fosse todo de um só. Mas para não gastarem os seus tesouros, porque também adoravam seus tesouros, resolveram evitar gastanças e empobrecimentos.
Os sapos são dotados por natureza de um aparelho fantástico, o papo. Por isso apelaram para o recurso de “bater papo”, costume que todos herdaram aqui em Lagoa. Todo mundo bate muito papo mesmo que todos saibam que não vai resolver nada.

Depois de baterem muito papo, mesmo assim, nenhum dos dois querendo ceder nadinha, na base do tudo ou nada, não chegavam a um acordo.
Por isso mandaram chamar Sua Sapiedade, o Sapa, que era o rei dos sapólicos e a quem todos obedeciam.

O Sapa, consultando seus pergaminhos mais antigos, lembrou de importante decisão histórica e lapidar de Sapalomão, o vivente mais sápio que já existira e que pretendera resolver uma querela dividindo com sua espada, uma criancinha em duas partes.
O mapa do mundo estava aberto em um varal bem à frente de Sua Sapiedade, tendo à esquerda o rei Sapanhol e à direita o Portuga.
Sem ninguém esperar, o Sapa nem pensou duas vezes. Sacou de surpresa a espada de um soldado distraído e... zás!
Dividiu o mapa em duas metades!
Pronto! A metade de lá era saportuga, a metade de cá, sapanhola e não se falava mais nisso!(*)

Agora, adivinhe!
- Onde o sapa cortou o mapa?
- Pois acredite! O talho passou exatamente aqui em Lagoa!
- Baaaagreees...pasmem!

Lagoa, desde aquele dia, é o centro do mundo!

(*) Tratado de Tordesilhas - foi celebrado entre os reinos de Espanha e Portugal em 1494 com mediação do Papa Alexandre VI. Por este acordo as terras descobertas no continente americano seriam divididas pelo "Meridiano de Tordesilhas" demarcado a 370 léguas da mais ocidental das ilhas do arquipélago de Cabo Verde e cortava o Brasil desde Belém, ao norte e Laguna ao sul.
Terras a leste da linha pertenceriam a Portugal e a oeste, à Espanha.