LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

sábado, 16 de novembro de 2013

XV DE NOVEMBRO - NADA A COMEMORAR

                                                                                Márcio José Rodrigues            

Hoje o dia do feriado poderia ter amanhecido de gala, mas para Laguna trouxe coisas tristes e difíceis de serem esquecidas.
!5 de novembro,

1839 -  a frota naval farroupilha de Garibaldi foi massacrada no canal da Barra, no maior combate em águas internas jamais travado na história do Brasil. 23 vasos de guerra defrontando-se num combate de morte, onde a fragata “Bela Americana” lacrou o destino da efêmera República Juliana.
Batalha naval do Canal da Barra - óleo sobre tela por Willy Zumblick

1887 – fundação do Clube Blondin, que por123 anos pertenceu à sociedade lagunense, construído com as mãos e a tenacidade de famílias representativas da sociedade local. 
Poderia estar em vias de ser simplesmente levado, esse patrimônio, à posse de particulares, sem nenhum direito legal para isso?
 Tremem no túmulo, os ossos de Paulo Carneiro e a Laguna não pode esquecê-lo nunca.

1889 – é deposto do governo imperial, Dom Pedro II, expulso do país, o melhor governante que o Brasil teve em sua existência, para inaugurar a través da Proclamação da República, este caos administrativo de corrupção que montou de rédeas e esporas nas costas do povo brasileiro.
Vista da Reserva do Gravatá - foto Ronaldo Amboni

2013 – A Câmara de vereadores  da Laguna determina o sepultamento do último reduto ecológico intocado do Município, o paraíso do Gravatá, para ser esquartejado e repartido entre a matilha da especulação imobiliária. Projeto infeliz e desqualificado, não tem como explicar a destruição de um aquífero importante (o que é considerado pecado mortal pelos órgãos federais ambientais), sem nenhuma infraestrutura prevista para tratamento e destino de efluentes, que terá certamente o destino certo, o mar, além de ferir acintosamente a lei que já o declarava reserva ambiental.

         
Feriadão para todos os tolos embriagados de preguiça e comodismo, que vão se acordar segunda-feira com uma cidade cada vez pior de se viver, de trabalhar de arranjar um trabalho decente.

Nota: imagens recolhidas de postagem de Júlio Cesar Vicente (ambientalista)