LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

segunda-feira, 29 de julho de 2013

LAGUNA 337 ANOS DE FUNDAÇÃO.

A velha Laguna apaga silenciosamente mais uma velinha no seu bolo de 337º aniversário.

Lugar mágico, ponto estratégico no Atlântico Sul Ocidental, já ouvi dizer que nela se localiza um dos três pontos misteriosos do planeta, onde se desmancham as tempestades no cabo de Santa Marta, onde o mar muda de feição para se converter no “mar tenebroso” que afronta o navegante que demanda o sul.

Lugar onde o Criador esmerou-se nos detalhes da paisagem, onde o destino escolheu para enredar tramas de amor e de aventura, de feitos e heroísmos, mas que não conseguiu comover um povo pusilânime e acomodado que aceita as maiores humilhações e se acovarda na hora de se expor ao mínimo risco, na hora de defender a terra mãe e patrimônio  de herança  para sua descendência.



Imagem ao lado, monumento ao fundador DOMINGOS DE BRITO PEIXOTO
(em1676)
Garça branca disputa em beleza com o reflexo nas docas do antigo porto.
Do que o Lagunense tem medo?
De desagradar algum poderoso, de perder o emprego,  o cabide na prefeitura ou no estado, medo do vizinho, medo de apanhar?

Ruas em regime de caos, alagadas, sujas, cidade feia, de calçadas esburacadas, povo pobre, abandonado, sem segurança, sem saúde, sem trabalho e sobretudo, calado.
Depois que assenta as nádegas na cadeira em frente à televisão, tranca portas e janelas não antes de colocar seu lixo na via pública para que os cães vadios e o vento nordeste espalhem o retrato de sua miséria.
É pelo lixo que se conhece como vive uma família.
A cidade está suja e o povo nem se importa mais!

RUA RIO BRANCO, CENTRO  COMERCIAL  - NO DIA DO 337º ANIVERSÁRIO DA CIDADE
ÀS 3 HORAS DA TARDE, SEGUNDA FEIRA RADIANTE DE SOL 29 DE JULHO DE 2013.

Se você não gostou desta crônica de aniversário, proponho que fique bravo e grite, xingue, me apedreje, mas por favor, não fique calado.

Proponho mudar nossa cidade, passo a passo, um de cada vez.
Que tal começarmos pelo nosso lixo?

fotos e texto por márcio josé rodrigues.