segunda-feira, 15 de julho de 2013

EDSON GOMES MATTOS, PROFESSOR.




POR DO SOL NA LAGOA DE SANTO ANTÔNIO - LAGUNA, BRASIL ( foto Amilton Leandro)
Neste ambiente de aspecto paradisíaco serão espalhadas ao vento da Laguna, as cinzas de um grande homem, EDSON GOMES MATTOS.
É muito difícil em momentos como este, virar mais uma página da nossa história pessoal, familiar e afetiva. 
Edson, o filho primogênito de Tancredo e Nelly  Mattos lutou bravamente com coragem e paciência por quase um ano com as sequelas severas e dolorosas de uma dessas doenças que nos acometem a qualquer momento.
Pode-se dizer que, mesmo sem nossa aprovação geral, finalmente descansou e enfim, deixou para trás um sofrimento cruel.
O importante é que foi feliz nos seus 76 anos de vida.

Casou com sua primeira namorada, Marlize, mulher linda de físico e espírito, com quem conviveu por 60 anos desde que iniciaram seus primeiros passeios pelo jardim da praça da cidade, quando ela tinha apenas treze anos.
Comemoraram bodas de ouro, viajaram pelo mundo, apaixonados que eram por cruzeiros marítimos. Tiveram filhos maravilhosos, Edson , Suzana e Cleber, netos, trabalharam muito, foram os dois, educadores com talento e amor de sobra para os jovens da cidade, porquanto professores. 



Sofreram juntos, enfrentaram batalhas, mas sempre emergiram vitoriosos, esbanjando alegria e paz com a vida.
Para todos nós, mais um pedaço de nossa história roída pelo tempo inexorável, à medida que vamos nos despedindo de nossos queridos, enquanto novos rebentos vão brotando de nosso tronco bom e fecundo.
É o preço da nossa renovação.


Bom, correto, decente, familiar, amoroso, responsável, amigo, Edson leva consigo apenas essas credenciais, mais que suficientes para conquistar um lugar no Reino da Eterna Felicidade.

Edson Gomes Mattos faleceu neste dia 15 de julho de 2013. O corpo foi transladado para Camboriu onde será cremado e posteriormente terá suas cinzas  lançadas ao mar em Laguna.
 
                                                                                                           Texto por Márcio José Rodrigues




8 comentários:

Anônimo disse...

Obrigado Dr Márcio pela linda homenagem.
Peço que permitas que eu publique esse texto maravilhoso.
Abraço

Cleber Guedes Mattos e família

Anônimo disse...

Parabéns Márcio, pelo carinho que dedicas ao nosso (por muito anos)vizinho lá na rua Almirante Lamego.A Marlize, Edinho, Suzana e Cleber, bem como aos demais familiares, nosso abraço e sentimento pela partida do seu querido primo Edson. Fatima e Antônio Michels.

Anônimo disse...

Edson era meu padrinho de batismo. Tínhamos tanta vergonha um do outro que nunca nos olhamos nos olhos, nunca trocamos mais que 2 palavras. Sua voz rouca me causava pânico quando eu era pequena e isso nos distanciou. De todo modo fui muito abençoada por ter como padrinho um homem de bem, um homem honrado que, tenho certeza, teria me dado proteção se eu tivesse precisado. Que Deus o receba e que ele descanse depois de tanto sofrimento. Rachel

Afonso Prates da Silva disse...

Márcio,
A dupla de professores mais famosa de Laguna chamava-se Flávio e Edson. Por que digo famosa; porque agiam em parceria, eram alegres e só pensavam no melhor para a educação lagunense.
No final da década de 80, quando exercia a função de Diretor da FESC, chegava à minha sala dois professores, Flávio Delgado e Edson Mattos. Finalidade da visita: Transferir o CCL, anexo ao CEAL, para o CIP, que não correspondia às funções para que fora criado, argumento deles. Mandei redigir um requerimento que foi por eles assinado e junto a Superintendência da FESC e Secretário da Educação Sílvio,tiveram total apoio. Hoje o CCL possui casa própria por mérito destes dois baluartes da educação. Edson como Diretor Geral do CCL foi incansável na luta pela melhor qualidade do ensino em nossa terra.
Perdemos mais um amigo, só nos resta pedir a Deus que o tempo amenize a dor dos seus familiares. Nossas sinceras condolências, e que Deus lhe dê conforto e paz de espírito.
Afonso Prates da Silva e família

Sergio Mattos disse...

Caro primo Márcio, boa noite.
Como sempre acompanho teu blog com muita atenção. Nele me encontro com as raizes da terra, da família. Hoje tratamos da despedida de nosso Irmão Edson. Não sei se somente a tristeza está presente. Creio ser um momento de introspecção, de avaliação. A tristeza da perda é acompanhada daquela saudade que sentiremos pelos dias que virão. Serão os frutos das lembranças que nos acompanharão, doces e saborosos. O plantio foi feito com muito amor, a colheita é a saudade. Creio, enfim, que esta saudade é amor que ficou. Certamente os dias passarão,curtiremos as lembranças sempre com muita felicidade por termos podido compartilhar dos tempos do plantio com tão bom plantador.
Juntamos nossas preces para que ele esteja lá no alto, num caminho de muita luz, para enviar ainda mais os fluidos positivos que irradiou quando em nossa companhia nesta passagem em família.
Um grande abraço, Sérgio Mattos

Anônimo disse...

Boa tarde, a certeza que temos ter sido Édson, bom filho, bom pai , bom esposo e bom amigo é a mesma de estar ele junto ao Pai. Nossos sentimentos.
Fineza transmitir à Dona Nely, filhos, nora, netos e familiares nossas profundas condolências pela perda insubstituível.

Paulo e Vera.

MARCIO JOSÉ RODRIGUES disse...

Rachel, tinhas uma cópia aqui em casa, a Ana Cláudia, em matéria de timidez. O Edson também era envergonhado e vocês não se cruzavam. Mas sei que o amor era recíproco.

Anônimo disse...

Oi Marcio! Acabei de ler tua mensagem de amor e carinho sobre o Edson. Tudo disseste. Mostrei para Mãe, que embora chorosa, ficou feliz. Pede que te agradeça, pelo carinho e te manda um beijo bem caloroso. Assim como ela , te agradeço e digo mais, felizes somos nós, que tivemos um berço de amor e mto carinho, que nem a linha do tempo extinguirá. Te amo, bjs Nancy