LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

domingo, 13 de maio de 2012

13 DE MAIO, DIA DA LEI ÁUREA


Condor - ave símbolo da Escola Candoreira, à qual pertencia Castro Alves
                                                                   texto e postagem márcio José rodrigues 

A cruz da estrada
                Antônio de Castro Alves

Caminheiro que passas pela estrada,
Seguindo pelo rumo do sertão,
Quando vires a cruz abandonada,
Deixa-a em paz dormir na solidão.

Que vale o ramo do alecrim cheiroso
Que lhe atiras nos braços ao passar?
Vais espantar o bando buliçoso
Das borboletas, que lá vão pousar.

É de um escravo humilde sepultura,
Foi-lhe a vida o velar de insônia atroz.
Deixa-o dormir no leito de verdura,
Que o Senhor dentre as selvas lhe compôs.

Não precisa de ti. O gaturamo
Geme, por ele, à tarde, no sertão.
E a juriti, do taquaral no ramo,
Povoa, soluçando, a solidão.

Dentre os braços da cruz, a parasita,
Num abraço de flores, se prendeu.
Chora orvalhos a grama, que palpita;
Lhe acende o vaga-lume o facho seu.

Quando, à noite, o silêncio habita as matas,
A sepultura fala a sós com Deus.
Prende-se a voz na boca das cascatas,
E as asas de ouro aos astros lá nos céus.

Caminheiro! do escravo desgraçado
O sono agora mesmo começou!
Não lhe toques no leito de noivado,
Há pouco a liberdade o desposou.


Jamais entendi a escravidão.
Desde criança tornei-me famélico leitor do "Poeta dos Escravos", cuja eloquência muito contribuiu para a abolição da escravatura no Brasil e ainda repercute nos dias atuais, quando se fala em liberdade. 
Hoje é o dia da LEI ÁUREA, aquela que dispensou os escravos negros das fazendas, sem contudo se preocupar com sua condição humana, jogando-os simplesmente na rua da amargura, para viverem um falsa liberdade com direito apenas à miséria, à fome. ao analfabetismo e à discriminação racial.
Esta lei que deveria ter entrado em vigor desde 124 anos atrás, ainda não o conseguiu plenamente. 

O preço da liberdade é a eterna vigilância.
Liberdade é um processo em construção, que passa pela educação e pelo repúdio a qualquer tentativa de cerceamento contra a expressão do livre do pensar.

ATENÇÃO ÀS MANOBRAS DE CONTROLE DA IMPRENSA!