LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

quarta-feira, 7 de março de 2012

SER MARRAIO EM TEUS BRAÇOS


Santo Antônio e o Menino - fotos por Maria de Fátima Michels da obra de   artista plástica Maria Carmen Pinheiro, a "Tia Nêga.



crônica por  Maria de Fátima Barreto Michels

A tia Nega, ou melhor, a Maria Carmem Pinheiro, fundou a escola Primeiro Degrau aqui em Laguna, onde os seus filhos e os filhos de muita gente, cursaram a escola primária. Atualmente ela se dedica exclusivamente ao artesanato. Com essa moça e o seu marido compartilhamos o melhor de nossas vidas, isto é, a infância de nossas crianças na escola. Tal circunstância é motivo para nos trazer até a mente um tempo de alegria e doçura.

Recentemente tive a oportunidade de conhecer uma peça artesanal feita pela Nega e o que senti foi puro encantamento . A figura de Santo Antonio com o menino Jesus ao colo remeteu-me ao poema que Vinícius de Morais deu o nome de : “Elegia na morte de Clodoaldo Pereira da Silva Moraes”.

O excerto “ser marraio em teus braços” refere-se ao desejo do menino Vinícius, quando o pai chegava em casa ao final do dia de trabalho, e seu colo era disputado pelo poeta e os vários irmãos. Confesso que não sei se marraio foi usado pelo Vinícius no sentido que compreendi. Num texto, a forma e ou conteúdo por vezes são superados pelo sentimento que o autor derrama na gente.

A peça artesanal criada pela artista Maria Carmem desperta na gente o desejo de estar no colo antonino, ao menos para quem conhece a história do franciscano Santo Antonio.

Pode parecer estranho que uns dias depois do carnaval estejamos aqui falando sobre isto, mas foi exatamente na semana anterior as festas de Momo, que no seu casamento, uma noiva jogou para as amigas o santo casamenteiro, encomendado especialmente na loja da “tia” Nega para tal finalidade.

Poderia mesmo dizer que este foi um carnaval especial, pois no almoço da terça-feira tive a grata surpresa de ser presenteada, por um sobrinho, com a edição atual de Grande Sertão Veredas.

Como se não bastasse, estava ontem numa fila e um homem dos seus 70 anos falava sobre os filhos. Ele disse por mais de duas vezes que suas alegrias na vida são os filhos. Aquele homem transmitia muita certeza e sentimento na sua fala, e foi bom demais ouvi-lo manifestando sua afetividade e imenso amor.

Algumas surpresas boas surgiram nestas últimas semanas. O amor a gentileza e a arte, são coisas que podem de fato nos lavar a alma.

É quaresma, é tempo mesmo de enfeitar a alma para a alegria do grande momento:

o reencontro pascoalino.

Duvido quem não gostaria de ser marraio nos braços de Jesus!