domingo, 9 de fevereiro de 2014

UMA HISTORIA DE GATO

Imagem ilustrativa - Googlr


UMA HISTORIA DE GATO
                                         por Márcio José Rodrigues

A história que passo a narrar é verdadeira e aconteceu há uns poucos anos com uma amigo meu.
Depois que ele descobriu que tinha um câncer de garganta e sua voz desapareceu atrás de um tubo de traqueotomia mal escondido por um lenço no pescoço, seus parceiros de clube, de cervejadas e partidas de dominó foram- se afastando, rareando as visitas e por fim, desaparecendo por completo.

Foi no tempo em que um gato de rua, adotado por sua filha, apegou-se mais a ele e ele também ao animal.  O bichinho parecia entender que algo não estava bem. Passou a fazer-lhe companhia constante. Gostava de sempre estar perto e enrolar-se no seu colo, ronronando suave em troca de carinho.
Era seu único amigo, silencioso, assíduo, fiel.
Não bastasse a companhia no sofá em frente à televisão, o gato passou a dormir em seu quarto, às vezes ao se lado na cama ou debaixo dela, companheiro de todas as horas. Era sempre o primeiro a  fazer-lhe o primeiro carinho matinal. Um bom dia miado com manha e simpatia.

Seguiram-se as cirurgias, as sessões intermináveis de radioterapia, as dores, os sofrimentos, as angústias naturais de quem se encontra dentro de uma doença mortal. O bichano cada vez mais atencioso e dedicado, parecia misteriosamente compreender o drama vivido pela família.

Numa certa manhã, notaram que o gato não estava bem. Cuidaram dele o dia todo com muito desvelo e, como não estivesse reagindo, levaram-no à noite a uma emergência veterinária. Meu amigo, mesmo em estado doentio, fez questão de acompanhar, mas ficou na sala de espera enquanto sua esposa entrou no consultório do doutor.
O diagnóstico foi tão desanimador quanto surpreendente e inacreditável.

- A senhora acredita em coisas misteriosas e inexplicáveis? – perguntou o doutor, acrescentando:
- Seu gato está roubando a doença de seu marido. Ele está com câncer, vai morrer, mas seu marido vai se curar. Eu já li sobre isso, em alguns relatos sobre animais, mas não tenho explicação!

O animal não durou muito tempo e eles o faram enterrar no terreno do clube, dando-lhe uma espécie de sepultura digna como homenagem.
O que o veterinário afirmou, aconteceu!
Recentemente estive a conversar alegremente com meu amigo, já passados alguns anos da cura total e da recuperação da voz, do bem estar e de uma vida normal.

Foi quando ele me segredou este caso enquanto tomávamos um café.

5 comentários:

José Guilherme Glasser disse...

Linda história do gato de estimação caro amigo Marcio. Quando estive aí em sua casa também ficamos comentando sobre os pássaros seus hospedes do quintal. Amo as aves e todos os bichos. Infelizmente moro em
apartamento e não posso tê-los comigo. Um forte abraço ao amigo, esposa e ao Marcinho.
José Guilherme Glasser

MARCIO JOSÉ RODRIGUES disse...

Grande prazer em ver seu comentário em meu humilde blog. Um grane abraço para Elza.

Afonso Prates da Silva disse...

Meu caro amigo, o que dizer? Os desígnios de Deus tem vários caminhos. Inexplicável.
Abraçãooo

Germano Gerlach disse...

Fiquei comovido e um pouco surpreso por um fato destes, raros imagino, acontecer tão próximo de onde moro. O gato "roubou", será que se pode dizer que somatizou para si a doença cruel que seu dono foi acometido. E volto a pensar que o desprendimento em uma verdadeira amizade opera milagres. Mais comuns, creio, em animais que em humanos para humanos. De qualquer forma, minha admiração, carinho respeito e até amor pelos animais aumentam a cada dia quando assisto e ouço tanta beligerância entre os homens e tantos exemplos lindos de amor entre os nossos " amigos menores" parafraseando uma minha amiga que também ama animais. Fico feliz também por tomar conhecimento que meu amigo virtual, Dr. Marcio José Rodrigues mantém este BLOG desde tanto tempo.
Obrigado amigo e estarei mais atento agora acompanhando suas pérolas guardadas em sua conhecida sabedoria e em sua generosa bondade cristã distribuindo belas mensagens como a que acabo de ler . Meu fraterno abraço e muita saúde ao Sr. e sua família .
Germano Gerlach Collaço

Ligia Maria Correa disse...

Uma linda e emocionante história de amor.