LAGUNA.

NÃO VERÁS LUGAR COMO ESTE.
AMA DE VERDADE
A TERRA EM QUE NASCESTE

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

CACHORRO QUENTE E CHURRASQUINHO DE GATO

Juarez pai e filho, no Estádio da Ressacada- Florianópolis. Brasil.
                                                                  Terxto e foto por Juarez Medeiros Filho


Nasci em 1979 e em 83 ele já me levava aos jogos do Avaí. 
Naquela época, descobri que ir ao estádio era um programa a tanto, não por causa do meu time do coração, pois pela minha pouca idade, não entendia o que era lateral, escanteio, impedimento, etc... Mas era feliz em estar lá, pelo simples motivo de passar aquelas duas horas de jogo flertando com a barraquinha de cachorro quente, churrasquinho de gato, regado de boas doses de Coca-Cola.

Em 88, ao lado dele, vi pela primeira vez meu time ser campeão do Estado. Pra mim foi a Glória.

Já aos 15 anos, íamos e voltávamos juntos ao estádio, mas lá dentro, ele ficava com os amigos dele e eu com os meus. Até que certo dia, um amigo me viu entrando na Ressacada com meu pai e perguntou: Tu vens sempre aos jogos com teu pai?

Eu, com certa vergonha, disse que sim. E pra minha surpresa, recebi como resposta a seguinte lição de vida: Sempre quis vir ao estádio com meu pai, mas não tive essa oportunidade, pois ele morreu muito cedo....

De lá pra cá, vimos nosso time ganhar e perder muitas vezes, subir e descer de divisão. E o cachorro quente e o churrasquinho de gato, que agora são regados por boas latas de cerveja gelada, não se tornaram menos importantes, pois neles, descontamos o nervosismo habitual que todo jogo do Avaí nos proporciona.

Hoje moramos longe da Ressacada e não vamos mais ao estádio com freqüência. A disposição dele já não é a mesma pra esse tipo de evento, a barriga já não o deixa vestir com elegância o nosso manto sagrado, sendo a prova que o churrasquinho de gato e o cachorro quente ainda se fazem freqüentes nessa nossa jornada pra lá de esporádica.

Mas em mim, hoje fica a certeza, a alegria e os meus sinceros agradecimentos, de ter vivido, ao lado do meu pai, esses bons momentos.

Já diz o ditado: Só aprendemos a dar valor depois que a gente perde, não é mesmo?

Ahhhh ditado, você não sabe como ainda é bom o cachorro quente e o churrasquinho de gato ao lado de dele sofrendo pelo nosso Avaí.

Valeu por mais essa, PAI !!!



Juarez Medeiros Filho é advogado e reside em Florianópolis.
É filho de Juarez e Liane, oriundos de tradicionais familiais lagunenses, Medeiros, Fonseca , Mattos e Siqueira.